Reviews

Review | O Sangue de Zeus

Compartilhar

Heron vive com sua mãe em um pacato vilarejo da Grécia Antiga. Ele nunca conheceu o pai. A partir de um momento, seres estranhos começam a aparecer e atacar os humanos. Em meio à situação caótica, Heron descobre que seu pai é Zeus, o soberano do Olimpo. A partir daí, Heron se vê totalmente envolvido no conflito com essa horda demoníaca que assola a Grécia.

O Sangue de Zeus é um dos mais recentes animes produzidos pela Netflix, e fez algo sempre bem-vindo: trouxe a Mitologia Grega à cultura pop. Aqui temos um excelente anime que, infelizmente, só teve oito episódios, mas tudo indica que teremos uma segunda temporada.

O ponto principal da trama é a horda demoníaca que aparece trazendo caos e destruição. Essa horda surgiu a partir de pessoas que tiveram contato com o corpo de um Titã. Existe a preocupação desses Titãs serem libertados, iniciando literalmente um duelo entre Titãs e Deuses. O líder dessa horda tem uma história bem interessante, que dá uma carga dramática bem no estilo das tragédias gregas.

A estética do anime é bem legal, trazendo uma ambientação muito boa. Os deuses são retratados com personalidades fortes, e Zeus... bem, ele é um desregrado que se aventura na Terra fazendo filhos bastardos, algo que deixa Hera morrendo de ódio. A relação entre Heron e Zeus também não é das melhores, mas ele precisa da ajuda do deus para cumprir sua missão.

A narrativa da série é excelente. Apesar da linha central da trama não fugir muito de clichês, as ramificações, detalhes e ouso dos elementos da mitologia grega tornam esta série muito intensa, especialmente na reta final da temporada. Há a sensação de aventura épica, e Heron passará maus bocados ao longo de sua missão. Teremos boas doses de aventura, humor e, claro, momentos trágicos. Série altamente recomendada, foi uma grata surpresa e espero que não demore muito para a nova temporada. Vale destacar a ótima dublagem brasileira, com vozes bem conhecidas.

Almighty

Ainda moleque, descobriu a existência de bons livros, mesmo com a escola mostrando o contrário em suas leituras obrigatórias. Na adolescência, começou a ouvir heavy metal e posteriormente aprendeu que a boa música não se resume a esse (ótimo) estilo. Formado em Direito.
Veja mais posts do Almighty
Compartilhar